Brasil Criativo – Prato Firmeza

Imagem

A cozinha sempre foi o canto da casa preferido de Matheus Oliveira, de 21 anos. Nascido na comunidade de Santo Antônio, periferia de São Paulo, cabia ao mais novo de três irmãos preparar as refeições da família. Ele cresceu com a mão na massa, no feijão, na carne. Fez curso de gastronomia sonhando ser chef de um restaurante badalado, desses que aparecem nas críticas dos jornais.
Matheus sempre conheceu o tempero das coisas. Sabe que pratos saborosos estão em todo lugar, não só no centro e nos bairros chiques. Perambulando pelas vielas mais distantes da cidade, descobriu joias da gastronomia. Restaurantes nordestinos, comida japonesa, italiana, natural, lanchonetes. Queria gritar ao mundo elogios a cada novo sabor. E o fez misturando paladar, pitadas de dedicação e letras.
Entrou em um curso de comunicação na sede da ONG Casa do Zezinho, no Capão Redondo. Depois tornou-se parte da Énóis, Agência Escola de Conteúdo Jovem, coordenada pelas jornalistas Amanda Rahra e Nina Weingrill. E descobriu que poderia juntar seu conhecimento na fina arte da boa mesa com tecnologia.
Matheus criou um guia gastronômico da periferia. No Prato Firmeza tem restaurante no quintal de casa que atende só com hora marcada, pastéis de 30 centímetros, sorveterias, padarias. Ele ainda planeja ser chef de cozinha. Mas não quer sair do seu bairro. Ao lado de outros jovens na Énóis, dá voz a uma região que por muito tempo não foi ouvida. “Não fazemos nada por eles, nem para eles. Mudar a vida dos jovens é fazer com eles, mostrar que eles podem”, conta Amanda. [Texto extraído do Almanaque Brasil edição 178 escrito por Laís Duarte, foto de Davi Ribeiro /Folhapress]

Brasil Criativo

Imagem

A partir de amanhã, dia 04 de fevereiro começo um novo projeto na BandNews FM que trará alguns brasileiros espalhados pelo País que apesar das dificuldades colocam sua criatividade em favor do bem comum. Trata-se de um espaço para divulgar o que o Brasil tem de melhor, os brasileiros.

Não estou falando daqueles que a gente cansa de ver na TV  e na grande mídia usando sua criatividade para roubar nosso dinheiro e fazer sacanagens com os mais desfavorecidos, estou falando da grande maioria de gente do bem, que quer ver esse País crescer e diminuir as desigualdades e mutretas.

Usarei esse espaço para colocar as informações complementares à coluna de rádio.

Toda terça 12h15 com reprises no sábado 16h35 e domingos 12h40.

 

Até lá.

A televisão Brasileira e a sexualização das crianças

A televisão aberta é deprimente, com raras exceções ela mais atrapalha do que ajuda na formação dos valores das nossas crianças. O único valor passado é o do consumo. Os canais que tem algo interessante e adequado ninguém assiste.

Acompanho a programação das Tvs abertas desde o começo dos anos 1980. Nessa época já existia o nocivo e aliciador Programa da Xuxa onde “paquitas” meninas quase adultas se vestiam com shortinhos e blusinhas para dançarem na frente da tela. As meninas menores também vestidas da mesma maneira imitavam as mais velhas com admiração. E assim seguiu uma geração de crianças objetos que no ápice de suas carreiras alcançavam o almejado posto de capa da revista Playboy.

Isso não parou, mas a gente acaba se acostumando né? Muitas vezes optamos em não assistir programas desse tipo, mas e as muitas famílias que assistem?

Outro dia me peguei vendo fantástico e fiquei surpreso quando o desafio do programa era um concurso com famílias inteirais fazendo coreografias da música do Michel Teló onde o refrão era: Ai se eu te pego, ai ai. Crianças auxiliadas por seus pais imitavam um gesto sexual, fazendo referência ao educativo refrão. Não é o fato das crianças fazerem o tal gesto em si, mas sim a principal emissora do País ter essa iniciativa, triste não?

Bom, escrevo isso para falar sobre a campanha da C&A que está no ar agora, o tema: O Mundo Mágico das Crianças. Vejam o vídeo acima e a mulher vestida de mágica, algo me lembra das paquitas.

Não sei se é para capturar a atenção dos pais, como faz o Faustão onde mulheres dançam no fundo do vídeo hipnotizando grandalhões sentados na frente da TV no domingo a tarde.

Fica aqui a reflexão, a estética e os estímulos para nossas crianças vem de uma marca e de uma concessão pública, os canais de TV. Triste saber que essa ideia foi pensada por um grupo de profissionais de agência de propaganda e aprovado por outros tantos que acham isso legal, enfim, sabe quando vou comprar algo nessa loja? Nunca.

Marca e cultura

Tem um exemplo aqui de como uma marca pode se associar à cultura e produzir conteúdo bonito e diferente. Não conheço a fundo o projeto nem a marca mais o vídeo é sensacional. Pesquisando no site deles descobri que eles tem um canal no You Tube com conteúdos exclusivos.

A cara do traço brasileiro: Speto

Essa semana entrevistamos o artista Speto, a cara dele pode não ser conhecida mais sua obra, sim. Ele empresta seu talento a Coca Cola para a comunicação da marca na Copa do mundo. Todo o grafismo é obra desse paulistano talentoso e apaixonado pelo Brasil. Na entrevista que sai na edição 171 de julho do Almanaque Brasil ele diz que ama nosso País e suas características de mistura, criatividade, ginga e tolerância. Aguardem e confiram.

Speto durante a entrevista, uma pausa para trabalhar.

Speto durante a entrevista, uma pausa para trabalhar.

O Haver – Tudo a ver

Imagem

Já postei um artigo falando desse projeto, acontece que agora ele está pronto e em setembro será apresentado ao público do Rio de Janeiro na galeria do BNDES.

Para quem não pretende ir a Cidade Maravilhosa, segue link para o site que tem o conteúdo das oficinas em vídeos e fotos, vale a pena.

www.ohaver.com.br

Arte fora do Museu

Imagem

Esse é o nome do projeto que faz um mapeamento de obras de arte que estão espalhadas pelas ruas de São Paulo. Junto da obra o site traz informações sobre o artista e detalhes sobre cada uma.

A interface do site é muito legal pois você já começa a navegar no Google Maps com marcações onde as obras estão expostas.

Vale a pena conhecer www.arteforadomuseu.com.br